30 de março de 2018

Dados: o maior ativo de uma companhia

Dados: o maior ativo de uma companhia

A gestão de dados para a tomada de decisões

Muito tem se falado sobre a influência da análise de dados e sua importância para a tomada de decisões. Os modelos de negócio mudaram e todas as companhias são diretamente influenciadas pela maneira como analisam seus dados e definem suas estratégias.

Entender como as variáveis do seu modelo de negócios e a análise dos dados produzidos diariamente em uma operação podem direcionar as decisões, torna-se um diferencial que permite não só a melhora do desempenho, mas a sobrevivência do negócio.

A evolução da análise dos dados 

Certamente você já ouviu a citação de Peter Drucker: “se você não pode medir, não pode gerenciar”. A cultura de mensuração, monitoramento e análise de informações para suportar a tomada de decisões não é um assunto novo. Antes eram necessárias fórmulas matemáticas complexas associadas a técnicas avançadas de probabilidade e estatística, que eram executadas manualmente por poucos profissionais. A combinação destes dois fatores com a baixa capacidade de processamento dos primeiros computadores, limitavam a capacidade das variáveis e aplicações de análises dos dados.

A medida que os processadores vem evoluindo e soluções de armazenamento e processamento de dados em nuvem se tornam mais acessíveis, a análise dos dados vem se tornando cada vez mais popular com a utilização de softwares desenvolvidos especificamente para transformar dados, estruturados ou não, em informações estratégicas valiosas para todas as indústrias.

Como a análise dos dados apoia a tomada de decisão? 

Dados contam histórias, livres de interesses pessoais ou opiniões. A correta análise e interpretação dos dados permitem a identificação de tendências, frequências, entre outros insights relevantes que reduzem a probabilidade de erros. A análise dos dados transformam a maneira que as companhias encaram as variáveis do negócio e direcionam os gestores para tomada de decisões mais assertivas, além de ganhos de produtividade e vantagem competitiva.

Cabe aos analistas definirem a estratégia para análise dos dados, evitando a subjetividade durante a interpretação dos resultados. A utilização de softwares para cruzar dados internos e externos trazem informações consistentes para os gestores suportarem suas decisões baseados nas histórias que os dados nos contam.

Atualmente existem diversas opções de softwares para gestão e monitoramento, que automatizam processos, monitoram informações e servem de guia para redefinir estratégias. Estes softwares de BI, denominados “business intelligence” ou “inteligência de negócios”, buscam informações em diversas fontes de dados, que permitem monitorar indicadores de desempenho, produtividade, a alocação e utilização de recursos humanos, materiais (ativos, consumíveis, estoque), o desempenho financeiro, entre muitas outras possibilidades. Os relatórios são apresentados de forma visual, através de dashboards (painéis e gráficos interativos) e possibilitam um entendimento fácil e objetivo.

As possibilidades de aplicação para a análise de dados são muitas e vão muito além da otimização de processos, utilização de recursos e redução de custos. Hoje dados são utilizados para monitorar o comportamento dos consumidores, acompanhar a experiência do cliente, prever movimentos de mercado que possam impactar o negócio, entre muitas outras.

A importância da qualidade dos dados

Mesmo com a quantidade de informações que as companhias possuem à disposição, muitas empresas ainda definem estratégias baseadas em critérios subjetivos e percepções pessoais e intuitivas dos seus gestores. Mas como podemos utilizar dados para definir estratégias e monitorar desempenho? Utilizando os recursos disponíveis e que já existem na companhia.

Pensem na quantidade de dados produzidos diariamente em uma operação: processos de fabricação, gerenciamento de recursos, gerenciamentos de ativos, finanças, recursos humanos, entre muitos outros. Este é o maior ativo de uma companhia: DADOS. O que vai determinar o sucesso e eficiência de uma operação é a maneira como estes dados são tratados e analisados.

Não basta ter dados. Dados sem qualidade não contam histórias e não trazem respostas. Muitas bases de dados existentes nas empresas são fruto de cargas de dados de sistemas legados que não sofreram nenhum tipo de saneamento ou tratamento. Muitas empresas também não adotaram um sistema integrado de gestão empresarial (ERP), tornando uma prática comum a adoção de sistemas independentes e ferramentas de controle paralelas, que podem trazer dados pobres ou até mesmo inconsistentes.

Como sua companhia cuida de seu maior ativo?

Entender como os dados estão estruturados e as histórias que estes trazem são fundamentais para a adoção de uma estratégia de gestão orientada a análise de dados. Somos especialistas em construção e saneamento de dados e podemos apoiar no planejamento, o saneamento e o monitoramento dos dados.

A TERQ trabalha para que pessoas e empresas possam tomar decisões que movem os negócios, fornecendo as diretrizes para a adoção de ferramentas de BI e indicadores que impactam diretamente no resultado da operação.

Entre em contato conosco e descubra como podemos ajudar.

Pesquisar

Categorias

Últimas postagens

Conheça os colaboradores

Ver os perfis